image

O Brasil voltou a fazer feio em avaliações internacionais de educação. Em relatório encomendado pela empresa Pearson à Economist Intelligence Unit, braço de pesquisas do grupo Economist, o país ficou em 39º lugar de um total de 40 nações avaliadas. Sem surpresas, Finlândia e Coreia do Sul conquistaram os primeiros lugares.
O Brasil só ficou a frente de Indonésia, mas atrás de México e Argentina.
O relatório encomendado pela Pearson faz parte do projeto “A curva do aprendizado” e considera os resultados de três testes comparativos:

o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa, o mais famosos deles),

o Progresso no Estudo Internacional de Alfabetização (PIRLS) e ainda

o Tendências no Estudo Internacional de Matemática e Ciência (TIMSS).

A pesquisa chega a algumas conclusões a respeito dos bem sucedidos sistemas educacionais finlandês e sul-coreano.Embora extremamente diferentes
– Coreia do Sul tem currículo rígido com alta carga horária, enquanto Finlândia é conhecida pela liberdade dada ao aluno
– há pontos em comum.“Um elemento é a importância dada ao ensinar e os esforços colocados no treinamento e recrutamento de professores”, diz o relatório. Além disso, o estudo assinala que o alto desempenho está ligado a uma alta cultura educacional, em que a educação chega a ter valor moral.