O pré-candidato a presidente da República pelo PDT, Ciro Gomes, afirma: o Ceará, comandando por um aliado, no caso o petista Camilo Santana, não precisa de intervenção na área da segurança como ocorreu no Rio de Janeiro. “Não precisa porque tem governo”, diz ele.

Ciro, que participou nessa tera-feira em São Paulo de fórum de jornalismo da Folha de S.Paulo, admitiu que os índices de homicídio aumentaram nos últimos anos, mas assegurou que o poder do Estado seria suficiente.

“Aumentaram bastante, mas o governo vai tomar conta”, disse Ciro Gomes, que retomou seu giro pelo País após ter se recuperado de uma cirurgia no septo nasal.

Advertisements

EXPLOSÃO DE VIOLÊNCIA

Número de homicídios no Ceará saltou 545% nos últimos 20 anos

Governos de Cid Gomes e Camilo Santana registraram uma explosão no número de homicídios no Ceara.

A violência no Ceará teve um crescimento assustador no número de homicídios nos últimos 20 anos. O aumento de 1998 a 2017 foi de 545%, subindo de 941 assassinatos para 5.134. O número registrado no ano passado foi o maior da história.

Em 1998, o Ceará registrou 2,5 homicídios por dia. Em 2017, a marca saltou para 14 por dia. A escaladada de violência supera e muito o crescimento populacional do Ceará, que saltou de 7 milhões para 9 milhões no período – aumento de 28%.

Média de 2018 é ainda maior

A Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS) ainda não divulgou os números de homicídios em janeiro de 2018, mas a média diária já supera a média de 2017. A TV Jangadeiro/SBT apurou que, até 15 de janeiro, houve 236 assassinatos no Estado, média diária de 15,7.

O secretário da Segurança Pública do Ceará, delegado federal André Costa, anunciou que, em breve, (não estipulou datas) a Polícia vai ocupar, ao menos, 15 regiões ou comunidades de Fortaleza que hoje estão dominadas pelas facções criminosas. O trabalho deve ser espelhado na operação que ora a Polícia Militar faz nas áreas da Babilônia (no Passaré) e no Barroso Dois. Uma providência que chega tarde, muito tarde, já em que em muitas dessas comunidades o clima hoje é de um cemitério, isto é, as ruas e casas estão vazias. Os moradores, ameaçados pelos criminosos, já foram embora. Muitos sequer pretendem voltar um dia, já que foram intimidados com armas pelos traficantes. Para salvar a própria vida e a de sua família, muitos pais entregaram aos criminosos o imóvel que foi comprado com o trabalho de anos a fio.

MEDO DE VOLTAR

A presença ostensiva da Polícia Militar em áreas como a Babilônia e o Barroso 2, claro, altera o ambiente. O vai-e-vem de viaturas dos batalhões de Choque e Raio, de viaturas do Policiamento Ostensivo Geral (POG) e de equipes do Canil e da Cavalaria traz, momentaneamente, uma sensação de quem anda nestas comunidades. Todavia, na cabeça das pessoas há um pensamento que não pode ser evitado. A pergunta é: “até quando eles (os policiais) vão ficar aqui?” O certo é que, a pessoa que foi ameaçada por um traficante trata de ir embora correndo do lugar onde estava. Medidas tomadas pelo Estado de forma atrasada podem não mais remediar situações graves como esta do avanço das facções nos bairros da Capital e a ordem de expulsar de casa seus moradores. Uma verdadeira lástima para a sociedade, e uma vergonha para o estado.

SONHO E REALIDADE

Em recente pronunciamento, o governador do estado, Camilo Santana (PT) abriu uma janela para a gravíssima situação de abandono em que se encontra a Polícia Civil do Ceará. Foi durante a posse de novos integrantes da instituição. Delegados, escrivães e inspetores que foram convocados pelo governo após passarem quatro anos no Cadastro de Reserva do concurso realizado em 2014. Camilo chamou cerca de 630 candidatos para se submeterem ao curso (eliminatório) de preparação na Academia Estadual da Segurança Pública (Aesp), certo de que, com esse efetivo irá resolver a situação da PC. Chegou a dizer que vai transformar a “Polícia Civil do Ceará na melhor, senão, numa da melhores do País”. Com tanta demanda (a violência explodindo sem controle) e tantas delegacias fechadas ou funcionando precariamente (a maioria absoluta sem plantões 24 horas), a quantidade de profissionais a serem efetivados não dará para a realização do sonho do governador. Atualmente, se o governo contratasse o dobro do que convocou, ainda assim, não supriria o déficit de efetivo da PC.

BRIGA NA SEGURANÇA

A Polícia Civil e a Polícia Militar travam uma “guerra” silenciosa e fica nos bastidores da Segurança. Isso porque em alguns Municípios ou comarcas, juízes estão liberando a PM para registrar Termos Circunstanciados de Ocorrência, os chamados TCOs, que são procedimentos equivalentes ao flagrante, mais aplicados pela Polícia nos casos dos crimes com pena de até dois anos de prisão (os chamados Crimes de Menor Potencial Ofensivo). Delegados e policiais civis afirmam que esta é uma tarefa exclusiva (privativa) da Polícia Judiciária. Já teve caso, recente, de delegado que instaurou inquérito contra PMs. Já o Sindicato dos Policiais Civis anuncia que estão sendo abertos processos contra os PMs que atuam na Inteligência, por estes estarem praticando usurpação de função ao investigar crimes, o que seria, também, uma atividade originária da Polícia Judiciária. A Grande Imprensa nada fala, o assunto é evitado pelas autoridades maiores e a Secretaria da Segurança Pública simplesmente silencia.

CIDADE TAMBÉM FATIADA

Assim como no Sistema Penitenciário cearense, que foi “fatiado” para separar (ou isolar) as facções em cada um dos presídios locais, os bairros de Fortaleza também estão ocupados ou dominados por esses grupos de delinquentes armados. Em recente conversa numa rede social, o próprio secretário da Segurança Pública, André Costa, disse ou ouviu de seu interlocutor (que seria um agente da Inteligência) como está o traçado das facções em Fortaleza. O PCC domina as áreas da Maraponga, Itaperi, Dias Macedo, Bonsucesso, parte do bairro Serrinha e as comunidades da Mana e Barracal, no Jangurussu. Já o Comando Vermelho (CV) dá as cartas na outra parte da Serrinha, Mondubim, Barroso, Bela Vista e nas comunidades do Gueto (na Barra do Ceará) e Babilônia (no Passaré). Já a Guardiões do Estado (GDE), a mais numerosa e mais violenta, domina a maioria dos bairros da cidade. Alguns deles são: Sapiranga-Coité, Aerolândia, Vicente Pinzón, Edson Queiroz, Sabiaguaba, Lagamar, Castelo Encantado, Mucuripe, Vila Velha, Parquel Leblon (em Caucaia), Praia do Futuro e no Caça e Pesca. E a guerra pela conquista e domínio de território do tráfico é na base da bala!

A ÚLTIMA BALADA

A morte do traficante que comandava o tráfico em vários bairros da chamada zona nobre de Fortaleza repercutiu nas redes sociais e ganhou milhares de acessos nos blogs e sites da Capital e do Interior do Ceará. Petros William Brandão Freire se tornou conhecido no meio das baladas de Fortaleza. Esbanjava dinheiro com bebidas e farras e estava sempre acompanhado de belas mulheres e também de seguranças. Contudo, sua jornada de gastança e ostentação acabou de forma trágica. Foi fuzilado na saída de uma balada de fim de semana numa barraca na Praia do Futuro. Segundo as autoridades, Petros era um dos chefes locais da facção Família do Norte (FDN) e traficava para pessoas de classe média alta. Um suspeito já está preso e confessou na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) que foi mesmo a “guerra” entre facções o motivo da execução sumária de Petros Freire. Nove bandidos armados participaram na tocaia armada para o “chefão”. Oito ainda estão sendo procurados pela Polícia.

PLANO DESEJADO

O governo já deu a resposta que era esperada. Informou que “não há a necessidade” de uma intervenção federal no Ceará por conta do descontrole da Segurança Pública, com a matança desenfreada que deixou 5.144 cadáveres nas ruas em 2017 e mais cerca de 400 somente neste mês de janeiro de 2018. No entanto, o Conselho Estadual da Segurança Pública aguarda do governo a apresentação do Plano de Segurança para este ano. O secretário André Costa deve comparecer á próxima reunião da entidade para dizer o que fará em 2018 com o objetivo de, ao menos, reduzir a criminalidade no estado. A população aguarda esta divulgação. Certamente, a estratégia vai demandar mais recursos do cofre do estado, a começar, segundo o próprio Palácio da Abolição, com o aluguel de veículos particulares para as frotas das polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros e Perícia Forense, que juntas com a Academia Estadual da Segurança Pública, formam o bloco de órgãos vinculados à SSPDS.

E TEM MAIS!!!

* Começa na próxima semana o treinamento de 116 guardas municipais de Fortaleza para o uso de armas de fogo. Eles passarão por uma rigorosa avaliação psicológica e física. Receberão instruções de armamento e tiro. Tudo com a supervisão da Polícia Federal.

* Os bandidos começaram o ano com todo o gás. Nesta quarta-feira realizaram o segundo ataque a banco do ano. No intervalo de apenas 13 dias, foi o segundo assalto. O primeiro contra o Bradesco de Ibaretama, no dia 11. Hoje (24), ao Bradesco da cidade de Varjota. Nos dois episódios, muitos tiros.

* A Polícia Civil e o Exército Brasileiro já conseguiram recuperar quase toda a munição que foifurtada de um quartel da corporação, em Fortaleza. Quatro pessoas (entre elas, dois soldados do EB) estão presas. As 16 mil munições desviadas são de calibres 7.62 (para fuzis) e 9 milímetros (para pistolas).

* Entre os dias 1º e 23 de janeiro em curso, nada menos, que 393 pessoas foram assassinadas no Ceará. Em todo o mês de janeiro de 2017, a SSPDS registrou 349 homicídios. A julgar pelo ritmo da violência neste intervalo, o ano de 2018 pode registrar um novo recorde de assassinatos no estado.

* Presos do Sistema Penitenciário do Ceará estão recebido aulas de Yoga nos presídios. Parece piada, mas não é. Qual o objetivo da Secretaria da Justiça nisso? Ninguém sabe. O fato é que o ano começa com mortes e fugas nas cadeias cearenses. Disso, a Sejus também nada fala. Silencia.

* A Polícia Militar vai disponibilizar um efetivo de 136 homens para a segurança do evento “Encanta Ceará”, que será realizado nesta quinta-feira (25), no Aterro da Praia de Iracema. Nas edições anteriores, ocorreram vários “arrastões”, principalmente após o término do evento.

A ÚLTIMA BALADA

A morte do traficante que comandava o tráfico em vários bairros da chamada zona nobre de Fortaleza repercutiu nas redes sociais e ganhou milhares de acessos nos blogs e sites da Capital e do Interior do Ceará. Petros William Brandão Freire se tornou conhecido no meio das baladas de Fortaleza. Esbanjava dinheiro com bebidas e farras e estava sempre acompanhado de belas mulheres e também de seguranças. Contudo, sua jornada de gastança e ostentação acabou de forma trágica. Foi fuzilado na saída de uma balada de fim de semana numa barraca na Praia do Futuro. Segundo as autoridades, Petros era um dos chefes locais da facção Família do Norte (FDN) e traficava para pessoas de classe média alta. Um suspeito já está preso e confessou na Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) que foi mesmo a “guerra” entre facções o motivo da execução sumária de Petros Freire. Nove bandidos armados participaram na tocaia armada para o “chefão”. Oito ainda estão sendo procurados pela Polícia.

PLANO DESEJADO

O governo já deu a resposta que era esperada. Informou que “não há a necessidade” de uma intervenção federal no Ceará por conta do descontrole da Segurança Pública, com a matança desenfreada que deixou 5.144 cadáveres nas ruas em 2017 e mais cerca de 400 somente neste mês de janeiro de 2018. No entanto, o Conselho Estadual da Segurança Pública aguarda do governo a apresentação do Plano de Segurança para este ano. O secretário André Costa deve comparecer á próxima reunião da entidade para dizer o que fará em 2018 com o objetivo de, ao menos, reduzir a criminalidade no estado. A população aguarda esta divulgação. Certamente, a estratégia vai demandar mais recursos do cofre do estado, a começar, segundo o próprio Palácio da Abolição, com o aluguel de veículos particulares para as frotas das polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros e Perícia Forense, que juntas com a Academia Estadual da Segurança Pública, formam o bloco de órgãos vinculados à SSPDS.

E TEM MAIS!!!

* Começa na próxima semana o treinamento de 116 guardas municipais de Fortaleza para o uso de armas de fogo. Eles passarão por uma rigorosa avaliação psicológica e física. Receberão instruções de armamento e tiro. Tudo com a supervisão da Polícia Federal.

* Os bandidos começaram o ano com todo o gás. Nesta quarta-feira realizaram o segundo ataque a banco do ano. No intervalo de apenas 13 dias, foi o segundo assalto. O primeiro contra o Bradesco de Ibaretama, no dia 11. Hoje (24), ao Bradesco da cidade de Varjota. Nos dois episódios, muitos tiros.

* A Polícia Civil e o Exército Brasileiro já conseguiram recuperar quase toda a munição que foifurtada de um quartel da corporação, em Fortaleza. Quatro pessoas (entre elas, dois soldados do EB) estão presas. As 16 mil munições desviadas são de calibres 7.62 (para fuzis) e 9 milímetros (para pistolas).

* Entre os dias 1º e 23 de janeiro em curso, nada menos, que 393 pessoas foram assassinadas no Ceará. Em todo o mês de janeiro de 2017, a SSPDS registrou 349 homicídios. A julgar pelo ritmo da violência neste intervalo, o ano de 2018 pode registrar um novo recorde de assassinatos no estado.

* Presos do Sistema Penitenciário do Ceará estão recebido aulas de Yoga nos presídios. Parece piada, mas não é. Qual o objetivo da Secretaria da Justiça nisso? Ninguém sabe. O fato é que o ano começa com mortes e fugas nas cadeias cearenses. Disso, a Sejus também nada fala. Silencia.

* A Polícia Militar vai disponibilizar um efetivo de 136 homens para a segurança do evento “Encanta Ceará”, que será realizado nesta quinta-feira (25), no Aterro da Praia de Iracema. Nas edições anteriores, ocorreram vários “arrastões”, principalmente após o término do evento.

​Conta-se que certa feita um negro maldoso e inconsequente resolveu pregar uma peça em idoso e experiente mestre, famoso por sua sabedoria.
— Quero ver se esse velho é sábio como dizem. Vou esconder um passarinho em minhas mãos. Depois, em presença de seus discípulos, vou perguntar-lhe se está vivo ou morto. Se responder que está vivo, eu o esmagarei e o apresentarei morto. Se afirmar que está morto, abrirei a mão e o pássaro voará. Uma armadilha infalível. Aos olhos de quem presenciasse o encontro, qualquer que fosse sua resposta, o sábio ficaria desmoralizado. E lá se foi o negro mal-intencionado, com sua artimanha perfeita. Diante do ancião acompanhado dos aprendizes, fez a pergunta fatal:
— Mestre, este passarinho que tenho preso em minhas mãos está vivo ou morto?
O sábio olhou em seus olhos, como se perscrutasse os recônditos de sua alma, e respondeu:
— Meu filho, o destino desse pássaro está em suas mãos.
Esta história pode ser um exemplo da perversidade que não vacila em esmagar inocentes para conseguir seus objetivos. Será uma demonstração das excelências da sabedoria, a sobrepor-se aos ardis da desonestidade. É, sobretudo, uma ilustração perfeita sobre os mistérios do destino, pois tudo está sempre em nossas mãos. 

#whitegeNOcide

prefeito de São Paulo, João Doria, em passagem por Fortaleza nesta sexta-feira para evento com empresários, disse a jornalistas que não é candidato à Presidência da República, mas lembrou que está capacitado para administrar o País, defendeu a redução do Estado como forma de combate à corrupção, atacou Lula e criticou o populismo, classificou políticas assistencialistas de cabresto eleitoral e afirmou que o Nordeste precisa é de empregos e empreendedorismo, apontando o Ceará como referência para a região.

Ao ser indagado sobre os recorrentes ataques de Ciro Gomes, pré-candidato do PDT na disputa presidencial, Doria respondeu: “Porque ele me teme, assim como o Lula e o petismo me temem também. Aliás, ao Ciro Gomes, um recado para ele: que ele intensifique mais a sua frequência nas consultas ao psiquiatra, ele está precisando”.


Tenho dificuldade em entender por que o governo posterga algumas medidas que há muito deveriam ser tomadas. Por exemplo, a inclusão do termo ”otário” ou ”otária”, em vermelho vivo, bem visível, em RGs e carteiras de motorista de trabalhadores das classes média e baixa. Com a devida identificação de como o Estado os veem, não haveria constrangimento algum quando o poder público e os mais ricos resolvessem passar a mão em suas bundas em público .

Bastou a área econômica assumir que estava estudando a hipótese de sei lá, talvez, quiçá, aumentar o Imposto de Renda sobre profissionais que ganham mais de R$ 20 mil por mês, criando uma nova alíquota de 35%, para que uma enxurra  de críticas do mercado financeiro e do Congresso Nacional surgissem contra essa abominação.

A grita foi ainda maior, a bem da verdade, porque também já estava sendo estudado o retorno da taxação de dividendos recebidos de empresas por pessoas físicas, algo em torno de 12 a 15%. O Brasil é um dos únicos países desenvolvidos recebidos de empresas por pessoas físicas, algo em torno de 12 a 15%. O Brasil é um dos únicos países desenvolvidos ou em desenvolvimento em que isso não acontece, fazendo com que as camadas mais altas que vivem de lucros paguem, proporcionalmente, menos impostos que os mais pobres. A medida teria que vir junto com a nova alíquota do IR para evitar uma corrida à pejotização dos profissionais de mais alta renda.

Isso era um bom ponto de partida para um debate público. A faixa de R$ 20 mil é muito baixa para uma alíquota de 35%? Vejamos os números para discutir algo mais factível, como R$ 30 mil ou R$ 40 mil. Mas o tema foi interditado sumariamente.

Ou seja, os mais ricos e seus representantes políticos enviaram um lembrete ao governo: a conta da crise econômica, conforme o combinado quando colocamos vocês aí, é para sair apenas do bolso dos mais pobres e não mexer em nossos previlegios.

”Se tiver que passar pela Câmara, não passa”, avisou o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ).


Não dá nem para dizer que isso é hipocrisia porque a maior parte da Câmara não esconde suas preferências ou não tem medo de atender ao desejo de seus patrocinadores. Os deputados federais aprovaram, sem pudores, a PEC do Teto dos Gastos, que limita pelas próximas duas décadas investimentos em gastos, como educação, saúde, reduzindo a qualidade de vida da turma pobre que depende de serviços públicos. Aprovou uma Lei da Terceirização Ampla, que deve precarizar o mercado de trabalho, e uma Reforma Trabalhista que retira proteção à saúde e à segurança dos mais vulneráveis. E está passando um rosário de leis que ferem a dignidade de populações indígenas, ribeirinhas, quilombolas, entre outros grupos. Sem contar que Rodrigo Maia quer aprovar o aumento de 15 para 25 anos de contribuição mínima para se alcançar a aposentadoria, o que atinge diretamente os mais pobres.

A mesma Câmara dos Deputados se esforça para manter subsídios bilionários a setores empresariais e prepara um perdão multibilionário de até 99% dos juros e multas que deveriam ser pagos por devedores de impostos.

Medidas de justiça social não resolvem o problema de caixa no país, o que só deve acontecer com crescimento econômico. Mas, pelo menos, o chicote, que hoje estala na grande maioria dos trabalhadores também seria sentido no lombo dos mais ricos. Com isso, teríamos menos vergonha de dizer lá fora que somos uma democracia.

Os estudos conduzidos pelo governo são pertinentes e merecem apoio da sociedade. Se a alta do IR para os mais ricos e o retorno da taxação de dividendos fossem implantados, Michel Temer faria algo que seus antecessores não conseguiram no sentido de tornar mais justo o sistema tributário brasileiro.

Infelizmente, a relação entre o Poder Executivo e o Congresso Nacional e a parcela mais rica da sociedade segue gerando uma espécie de Robin Hood às avessas: o sistema tira dos pobres para garantir aos ricos. Enquanto um sócio de empresa recebe boa parte de sua renda de forma isenta, um metalúrgico e uma engenheira contratados via CLT são obrigados a bancar alíquotas de até 27,5% por salários que mal pagam um plano de saúde privado ou a escola particular dos filhos.

A falta de uma correção decente da tabela do Imposto de Renda também passou da hora de acontecer. Uma opção que vinha sendo discutida por técnicos do governo e por membros da oposição no Congresso era elevar a isenção para  rendimentos de até R$ 5 ou 8 mil mensais e começar a taxar a partir daí, criando alíquotas de 30%, 35% e 40% para rendas muito altas. Isso liberaria recursos dos trabalhadores para o consumo e, ao mesmo tempo, apontaria para uma progressão tributária mais justa. 

Esses elementos sempre esbarram na justificativa de que os mais ricos tirariam o dinheiro do país. Isso só aconteceria se tivermos um governo que se mantenha subserviente aos interesses de sua elite econômica, pois uma administração que pensa primeiro no bem público desenvolve instrumentos para não deixar isso acontecer. E, acontecendo, consiga punir os responsáveis. E não possibilite perdões para o repatriamento de dinheiro ilegal. 

Quando o governo Michel Temer ensaiou equilibrar a balança, o próximo na linha sucessória bateu o pé e soltou um nem que a vaca tussa. Como precisa do apoio do grande empresariado e do mercado para não ser trocado por Rodrigo Maia, a solução é pedir desculpas, dizer que os estudos foram apenas rabiscos aleatórios e deixar tudo como está. 

Você, trabalhador de classe média ou baixa, caso sinta uma apalpada nas nádegas logo após uma chicotada no lombo, não estranhe. É sua cota de sacrifício pelo desenvolvimento do Brasil. Seguido de um lembrete de que este país tem dono dono. E, definitivamente, não é você....

Depois de ameaças de organizações criminosas — que pretenderiam realizar ataques na Comunidade do Lagamar —, da prisão de integrantes de facção e da ocupação pela Polícia Militar, ontem, houve disseminação de série de boatos sobre o clima na região. 

Durante todo o dia, circularam mensagens e áudios atribuídos a facções ordenando o fechamento de alguns pontos comerciais, escolas e estabelecimentos públicos na área. Um morador do bairro Alto da Balança — do qual o Lagamar faz parte — afirmou que circularam mensagens pela rua para que as pessoas não saíssem de casa. “Disseram (traficantes) que não era pra ninguém sair. Minha neta não foi estudar hoje”, comentou.

O único lugar que fechou, identificado pela equipe do O VOZ DO CEARA ontem à tarde, foi o Posto de Saúde César Cals de Oliveira, na rua Capitão Aragão, que encerrou o expediente às 13 horas. Moradores das proximidades informaram que houve a ordem de fechamento do local por parte do tráfico. A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) confirmou o encerramento das atividades mais cedo e afirmou que a direção tomou a decisão por “precaução e segurança”.


Apesar dos boatos e ameaças, a maioria das escolas e estabelecimentos da área teve funcionamento normal. Somente em alguns pontos a movimentação foi alterada com presença policial e baixa frequência de alunos, informaram moradores.


As escolas visitadas pelo
O VOZ DO CEARA ontem — Escola Estado do Pará, Escola Yolanda Queiroz e Escola Circulista de Jesus — estavam funcionando. Em algumas, houve relato de frequência bem menor devido à circulação das mensagens. Não foi encontrada nenhuma escola fechada. Por meio de nota, a Secretaria Municipal da Educação (SME) informou que todas as escolas da região do Lagamar funcionaram normalmente nos últimos dias. “Em turnos pontuais, os pais optaram por não levar os filhos”, comunicou a nota.

Perseguição

Na manhã de ontem, uma perseguição foi registrada na região, mas nada tinha a ver com o movimento de organizações criminosas. Houve um crime de violência contra a mulher, enquadrado na Lei Maria da Penha, na área. O homem agredia a mulher e acabou preso. 

 

No fim da tarde, o Comando de Policiamento da Capital (CPC), em parceria com a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), implantou uma blitz na esquina das ruas Capitão Aragão e Capitão Olavo, no bairro Alto da Balança. De acordo com o sargento que se identificou apenas como Aleixo, a blitz tinha o objetivo de realizar abordagens e desarmamento. (colaborou Jéssika Sisnando)

 

Saiba mais


Localização

O Grande Lagamar abrange os bairros Alto da Balança, Aerolândia e Tauape, nas regionais II, IV e IV. 

 

Prisão 

Três armas de fogo, entre elas uma submetralhadora, foram apreendidas por uma composição da Polícia Militar, na última quinta-feira, 3, na Comunidade do Lagamar. Três homens foram presos e um adolescente foi apreendido. Grupo da Cidade de Deus pretendia executar pessoas no Lagamar e participou de vídeos com ameaças aos oponentes.

Mudança

Quando O VOZ DO CEARA esteve no Lagamar na quinta-feira, a equipe constatou a mudança de uma família ameaçada de morte.